Twitter: participação web de 15% no Brasil, mas não é a maior no geral.

O Ibope Nielsen Online acabou de publicar um relatório que indica que o Twitter alcançou uma penetração de 15% no Brasil em junho. Ou seja, segundo o estudo, 15 entre cada 100 usuários de internet acessaram o site do Twitter neste mês. Os dados comentados pelo analista José Calazans (ver idgnow) ainda indicam que os brasileiros seriam o país com a maior participação, contra 11% dos EUA e 9% do Reino Unido. Este artigo também fala do número de  minutos gastos: Brasil com 36; EUA com 31; e Reino Unido com 25.

O IDG Now!, o Twitter Brasil e vários outros sites publicaram a notícia sem uma crítica aos dados, como se o Brasil tivesse a maior participação entre estes países. O boom brasileiro do Twitter se deu nos últimos meses. Dos “descolados” que acham CQC a coisa mais esperta do mundo ,aos corinthianos e rivais que seguem o Mano Menezes, ou telespectadores do Fantástico, muita gente entrou no Twitter. Porém, há pouco tempo. E usando praticamente apenas a web para twittar.

Um dos trunfos do Twitter é sua API aberta, que permite o desenvolvimento de aplicativos de acesso como Tweetdeck, Twititerfeed, Twitterfox etc. E são estes aplicativos, que permitem uma utilização mais customizada e avançada do Twitter os mais utilizados nos EUA e Reino Unido. Nestes países, o site do Twitter representa menos de 30% do acesso à plataforma (ver dados no Mashable e no twitstats), enquanto no Brasil a pesquisa da Bullet indica que a relação  de uso entre site e aplicativos é de aproximadamente 48% x 52%:

pesquisa bullet twitter - ferramentas para postagem

São dados de fontes diversas, mas uma coisa é clara: faltou contextualização das informações. Acredito que as mídias sociais são maravilhosas por diversos motivos e para diversos fins. Porém, um “oba-oba” generalizado sem crítica é prejudicial ao desenvolvimento do mercado.

O uso do Twitter no Brasil, apesar do crescimento, anida está em uma fase de descoberta e experimentação, com uma menor participação dos aplicativos. Entre os milhões de usuários que entraram no boom da cobertura pelas outras mídias, não serão todos que continuarão a utilizá-lo. E muito menos o Twitter é mais relevante aqui no Brasil do que nos Estados Unidos ou Reino Unido. Estar atento à realidade dos dados e informações é indispensável para desenvolver e apresentar projetos que busquem resultados reais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *