Relato do Simpósio de Pesquisa em Tecnologias Digitais e Sociabilidade

Nos últimos dias 13 e 14, aconteceu na Facom o Simpósio de Pesquisa em Tecnologias Digitais e Sociabilidade, evento organizado por nós do Grupo de Pesquisa em Interações, Tecnologias Digitais e Sociedade. O retorno do trabalho de organização do simpósio, que vem sendo produzido desde março, foi gratificante. O evento foi bastante interessante, produtivo e reuniu cerca de 200 pessoas para discutir mídias sociais.

As conferências de Massimo di Felice, Simone de Sá, Fernanda Bruno e dos professores do GITS José Carlos Ribeiro, Malu Fontes e Fabrício de Souza lotaram o auditório.

José Carlos (UFBA)

Particularmente, destaco a conferência do professor José Carlos Ribeiro (que também é meu orientador) e a de Fernanda Bruno, por terem sido de temas relacionados a meu objeto de pesquisa. O professor Ribeiro apresentou pesquisa em andamento sobre o uso de aplicativos sociais em gerenciamento de impressões e constituição do self, incluindo uma proposta de diagrama que propomos para entender este fenômeno – que será publicada em breve em livro internacional. Falou de uma ótica interacional microsociológica, mostrando como os sites de redes sociais permitem a publicação, edição e busca constante por informações sociais. Fernanda Bruno, por sua vez, apresentou questões relacionadas aos rastros pessoais como fonte para processamentos macro em modalidades policiais e políticas de rastreamento. São  interesses de pesquisa que, na minha opinião, representam avanços necessários na compreensão da comunicação digital, pois a publicação, edição e processamento dos dados digitais tem importância crucial e central.

Tarcízio Silva

Além de participar da organização do evento, tive o prazer de coordenar um grupo de trabalho e apresentar um mini-curso. Junto com Maria Alessandra Calheira, coordenei o grupo de trabalho Mídias Sociais: Consumo e Estratégias de Mercado. Os sete artigos apresentados trataram de temas como estratégias e comunicação no Facebook, compras coletivas, comunicação locativa pervasiva e circulação musical. No mini-curso Consumo e Métricas para Mídias Sociais, realizado com o Marcel Ayres, apresentei uma introdução sobre inteligência de marketing:

Ainda merece destaque o fato de que a hashtag do evento, #simsocial2011 foi para os trending topics do Brasil. Devido a uma curiosa semelhança com o nome do jogo The Sims Social, as apropriações do hashtag nesse momento foram muito hilárias. Em breve, algumas considerações sobre isto. Para saber mais sobre o evento e acessar os trabalhos, não deixe de visitar o site http://gitsufba.net/simposio/

Jornalismo em Dispositivos Móveis é discutido na Facom-UFBA

A terceira edição do Ciclos de Jornalismo aconteceu ontem na Facom-UFBA e reuniu profissionais, pesquisadores e estudantes de comunicação para discutir o tema “Jornalismo em Dispositivos Móveis: celulares e tablets trazem nova vida ao jornalismo?”.

Na primeira, Adelino Mont’alververne mostrou diversas dinâmicas próprias da comunicação mobile como: os nômades digitais – profissionais conectados que utilizam diversos locais como ambiente de trabalho; o uso coordenado da comunicação por motoboys; a utilização de redes sociais; organizações de smart mobs; violência como ataques PCC. Também citou diversos projetos interessantes como o MurMur, Sonic City, Can You See Me Now? e Pac-Manhattan. Em seguida falou das peculiarides culturais de cada local e contexto, como no Brasil e em Uganda.

Rodrigo Cunha, mestrando do Póscom-UFBA, apresentou um mapeamento chamado “Revistas Brasileiras em Dispositivos Móveis”. O slideshow pode ser conferido abaixo:

Iloma Sales, editora do Mobi A Tarde, contou a história da iniciativa e como a equipe de jornalismo para dispositivos móveis do Jornal A Tarde trabalha. Lançada no início de 2009, foi uma das primeiras equipes dedicadas lançadas no Brasil. O conteúdo do portal mobi.atarde.com.br se posiciona entre o portal online, o jornal através do QR Code e o envio de SMS. Abaixo uma imagem do jornal, o primeiro brasileiro a utilizar esta tecnologia:

O evento Ciclos de Jornalismo volta no próximo semestre, com debate sobre jornalismo cultural. Assine o site e siga o Twitter para não perder: http://ciclosdejornalismo.blogspot.com/twitter.com/ciclosdejor.

Ciclos de Jornalismo: Jornalismo em Dispositivos Móveis

Jornalismo em Dispositivos Móveis: celulares e tablets trazem nova vida ao jornalismo?” é o tema da terceira edição do Ciclos de Jornalismo, evento de extensão da Facom-UFBA promovido por Lia Seixas (prof. adjunto da Facom/Ufba) e Iloma Sales (editora Mobi A TARDE).

Nesta edição, que acontecerá no dia 29/6 às 8h30, o debate tratá três profissionais atuando no jornalismo digital, no marketing para dispositivos móveis e na compreensão de produtos jornalísticos para dispositivos móveis, como tablets e smartphones: Iloma Sales, coordenadora de mídias digitais de ATarde e também coordenadora do Ciclos de Jornalismo; Adelino Mont’Alverne, diretor da Malagueta Interativa e Rodrigo Cunha, especialista em design gráfico e mestrando sobre revistas digitais para dispositivos móveis, autor do blog Papel Digital v.3.0.

Lugares da Sociabilidade

Evento de discussão sobre temas relacionados às pesquisas efetuadas pelos discentes da linha cibercultura do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Culturas Contemporâneas da UFBA, vinculados ao Grupo de Pesquisa em Cibercidades – GPC e ao Grupo de Pesquisa em Interações, Tecnologias Digitais e Sociedade – GITS. Os temas a serem abordados agrupam-se em mesas temáticas sobre: Cartografia colaborativa; Game Studies; Dispositivos Móveis e Redes Sociais; Jornalismo Móvel e Mídia Locativa; Interação e Redes Sociais; e Dispositivos Móveis e Jornalismo Digital. Veja a programação completa.

Jornalismo participativo e informação hiperlocal

Na próxima terça-feira, 27 de Abril, o bolsista PETCOM Nelson Oliveira apresenta no Sessões Científicas seu artigo de tema “Jornalismo participativo e informação hiperlocal: o papel de Mashups e Hashtags na construção da notícia em redes sociais.” Na Facom-UFBa, sala 01, às 11h.

O trabalho traz a discussão de como o uso de redes sociais e de ferramentas e dispositivos baseados em localização, por parte das fontes e dos jornalistas, podem contribuir para o aperfeiçoamento das práticas de apuração e construção de notícias. Tal análise foi feita a partir do estudo de dois casos relacionados ao uso do Twitter para a construção coletiva de conteúdos informativos, principalmente no que diz respeito a serviços de utilidade pública.
jornalismo participativo e informação hiperlocal