“Ser humano: que ficção é essa?” – Mesa-redonda em Curitiba, 21 de agosto

Com apoio do programa Rumos Itaú Cultural, o Projeto Enquanto Somos Humanos realiza a Mesa Redonda – Ser humano: que ficção é essa? – dia 21 de agosto, às 19h, em Curitiba, no Teatro José Maria Santos. A entrada é gratuita.

Se máquinas e robôs estão sendo programados a pensar e agir como humanos, como, ao longo da nossa história, aprendemos a ser humanos? Com o rápido avanço e inserção das tecnologias digitais em nossas vidas, a definição de humano poderá ser modificada? O que nos torna humanos? Que projeto de humanidade estamos construindo agora?

A mesa-redonda contará com a participação dos seguintes estudiosos/profissionais:

FLÁVIA BERNARDINI (RJ) – Flávia possui graduação em Ciência da Computação pela UNESP e mestrado e doutorado em Ciência da Computação pelo ICMC/USP. É professora associada do Instituto de Computação da Universidade Federal Fluminense (UFF). Tem experiência na coordenação e execução de projetos de pesquisa e desenvolvimento há mais de 10 anos utilizando Inteligência Artificial (IA). A temática de Cidades Inteligentes também tem sido um grande interesse de pesquisa. Também, coordena um projeto de ensino voltado para a educação básica, envolvendo programação, pensamento computacional e robótica educativa. Em sua fala, fará reflexões sobre o uso das tecnologias computacionais e da IA no processo diário de tomada de decisão, e os impactos sociais e educacionais no nosso cotidiano.

EDUARDO EKMAM SCHENBERG (SP). Neurocientista pioneiro no estudo de substâncias psicodélicas, trabalha com estados extraordinários de consciência em seus múltiplos aspectos, incluindo neuroimagem, xamanismo, respiração holotrópica e novos tratamentos psiquiátricos. Nesta mesa falará sobre a encruzilhada do homo sapiens neste começo de antropoceno e qual o papel dos estados não ordinários de consciência para a regeneração planetária.

RUDÁ IANDÉ (PR). estudioso do xamanismo ancestral e das multidimensões humanas, foi consultor criativo no filme Space in Between – Marina Abramovic in Brazil) – Rudá falará da rede de conhecimento contida no corpo humano e de como acessar tais informações através de experiências corporais e práticas xamânicas. Também falará sobre como os conhecimentos de povos ancestrais podem ser úteis nas sociedades contemporâneas.

TARCÍZIO SILVA (SP). Pesquisador de doutorado UFABC, Associado IBPAD – Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados. O tema de sua fala será “Abrindo as Caixas Pretas: reações à desinteligência artificial”, refletindo como o technochauvinismo tem promovido uma ideia corporativa de pós-humano. Reações e contra-narrativas do campo da academia e do ativismo serão apresentadas para destacar a opacidade das caixas pretas tecnológicas.

Mediação: VERONICA CALAZANS (PR). Doutora em Filosofia (2014) pelo Programa de Pós-graduação em Filosofia da Universidade de São Paulo. Tem experiência nas áreas de Filosofia Moderna e História e Filosofia da Ciência e da Tecnologia, atuando principalmente nos seguintes temas: realismo matemático, matematização da natureza, cultura e tecnologia. É professora adjunta de Filosofia da Ciência e Tecnologia na UTFPR.

Dia: 21 de agosto
Horário: das 19h às 22h

ENTRADA GRATUITA
Teatro José Maria Santos.
Rua 13 de Maio, 655 – Curitiba

*Esta ação integra o Projeto Enquanto Somos Humanos, contemplado pelo programa Rumos Itaú Cultural. #rumos #itaucultural . Saiba mais em http://www.teatroguaira.pr.gov.br/2019/08/2662/Projeto-aborda-a-desumanizacao-do-corpo-e-a-influencia-da-tecnologia-na-maneira-de-as-pessoas-verem-o-mundo.html 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *