Jogos Olímpicos 2012 e os Cases de Monitoramento

Que os Jogos Olímpicos de Londres renderam, e continuam rendendo conteúdo para internet, está mais do que notório, afinal, não por acaso o evento foi apontado como “social games”. Antes, durante e até o final das Olimpíadas agências publicitárias e empresas de monitoramento aproveitaram a oportunidade para produzir ótimos cases e é justamente a composição deles que está em questão nesta postagem.

Selecionei alguns estudos de diversas empresas, com vieses diversificados. A análise está dividida por cases internacionais e nacionais de menções gerais sobre acontecimentos dos Jogos Olímpicos e sobre menções às marcas patrocinadoras do evento.

Cases Gerais Internacionais

MindJumpers

A Mindjumpers monitorou apenas as menções no Twitter, no período de 27/07 a 06/08, se limitou a monitorar a repercussão do evento na localidade em que ocorreu. A justificativa para isto foi o Twitter ter sido, juntamente com a NBC, veículo oficial de divulgação do evento. A Mindjumpers ainda lembrou da regra 40 do comitê olímpico, que fazia algumas restrições às menções de atletas. Como diferencial dentre os demais, trouxe uma comparação entre o número de tweets por minuto sobre os Jogos Olímpicos, American Idol e The Royal Wedding:

VenueSeen

Monitorou o Instagram, apontando dados interessantes sobre locais e pessoas mais vistos e comentados, apesar de ter restringindo o monitoramento a uma mídia social:

Radian6
A Radian 6 produziu durante o período 2 estudos complementares. O primeiro The Power to the Voice Around London 2012 analisa os principais acontecimento do “Social Games” e ainda traça um comparativo entre as Olimpíadas de Pequim, em 2008. A diferença, em termos de volume social é extraordinário.

Em 2008, o Twitter estava se popularizando entre as redes sociais e pode registrar pouco mais de 13 mil tweets (menos do que os Jogos deste ano marcou por dia). Já em 2012, história é outra, com 19.873.312. Segundo o estudo, a quantidade de menções é o equivalente a toda a população do Sri Lanka.

No gráfico um demonstrativo do número de menções no Twitter:

Cases Gerais Nacionais

E.life Brasil
O Brasil não ficou de fora dos monitoramentos. A E.Life Brasil cuidou de monitorar menções, de 23/07 a 06/08, nacional e nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo. Alguns tópicos foram destaque no Brasil, a judoca Sarah Menezes, que conseguiu sua primeira medalha de ouro foi unanimidade entre as conversas. Outros assuntos como a final de tênis entre Serena Willians vs Maria Sharapova e a abertura do evento também marcaram presença nos TT’s.
Além de Sarah Menezes, os assuntos mais comentados de São Paulo e Rio, foi a seleção de futebol masculino, o vôlei feminino com destaque para a levantadora Fabi e a ponteira Fernanda Garay. A natação também veio forte, com revezamento entre Cesar Cielo e Michael Phelps nas menções.

AG2
Outro estudo brasileiro que chamou bastante atenção foi um monitoramento feito pela AG2, em parceira com a Seekr, no período de 26/07 a 12/08. O estudo mostra diferenças marcantes na forma com que os brasileiros interagiram com o evento, no Twitter e Facebook.

O estudo revelou que o brasileiro usou muito mais o Facebook (58%), do que o Twitter(42%) para acompanhar os jogos, enquanto que nos EUA e Londres, por exemplo, o Twitter teve maior representatividade.

Dentre os assuntos mais citados estão, reclamações sobre a falta de investimento nos atletas, no Facebook. No Twitter houve predominância de noticias relacionadas ao evento. A festa de encerramento também teve espaço garantido entre as conversas e foi o assunto mais curtido pelo público. Já a seleção masculina de futebol não teve a mesma sorte, foi o assunto menos curtido após perder a final dos jogos para o México e terminar a competição com a prata.
Brasil Não É Mais o País do Futebol
A campanha fraca e inconsistente do  time de Mano Menezes na competição garantiu ao esporte o 6º lugar, atrás de natação e judô. O Basquete e o vôlei dominaram a maior parte das menções:

As Celebridades
Top 10 celebridades da festa de encerramento:


Cases sobre Marcas
Unmetric
A Unmetric analisou apenas perfis patrocinadores do evento, em 3 mídias sociais (Facebook, Twitter e Youtube), traçando um ranking de desempenho geral dos patrocinadores do evento, durante o período de  jan-maio 2012. As marcas foram avaliadas pelo número total de seguidores nas 3 mídias; qual marca conseguiu capitalizar novos seguidores mais rápido; qual marca teve maior percentual de crescimento; quantidade de novos posts; teve maior percentual de engajamento e quem teve maior score no ranking.

Segundo o ranking a marca que conquistou o lugar mais alto do pódio foi a Coca-Cola, se destacando na maratona:

FastCompany

A FastCompany analisou o impacto das campanhas das marcas patrocinadoras do evento, fazendo um comparativo entre 2008 e 2012 nas mídias sociais:

Youtube

Facebook

Top Search Google

Desempenho das marcas patrocinadoras das Olimpíadas nas buscas, pelas palavras-chave: “Olympic Brand Campaigns”; “Olympic Commercials 2012”; “Olympic Athletes 2012”

Somemo

Helene Fritzsche especialista em novas mídias, tecnologia e gestão, trouxe à tona um curioso e instigante questionamento sobre monitoramentos de oportunidades. Na sua análise ela chama atenção o seguinte fato, os diferentes resultados desses estudos, refletem um problema: mudando o fornecedor dos dados, muda o resultado. Vejamos alguns exemplos:

PRINT Index™
1º Coca-Cola, 2º Adidas e 3º British Airways
“Top performers” teve como base  análise quantitativa olhando para os números usando os algoritmos print ™

Brandwatch
1º General Electric, 2º P & G e 3º Samsung
Baseado em uma pontuação que revela o “alcance o potencial do burburinho, o sentimento da discussão e do nível de envolvimento com cada marca”

Newsdesk
1º Visa, 2º McDonald e 3º Coca-Cola
Campeões em termos de maior volume de menções

Mas e então, como lidar com essas alterações? A falta de padrão é motivo para não monitorar as mídias sociais? Definitivamente, não! Não há motivos para desesperar, pois profissionais do mundo inteiro estão se debruçando sobre o assunto para preencher essa pequena lacuna (The measurement standard). É apenas uma questão de adequação ao que se deseja medir e coerência ao analizar os resultados do monitoramento.

* Post por Mariana Ferreira, publicitária e gestora de mídias sociais na Dendê Brands.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *