Unspeakable Vault (of Doom)

Os quadrinhos são a arte nerd por excelência. Em comparação com outras artes narrativas (cinema, literatura ou até música), a facilidade de produção e distribuição é muito superior. Isso permite que muitos quadrinhos, principalmente tirinhas, possam delimitar seu público bem restritamente.
Uma tirinha exclusivamente de sátira a um único universo ficcional é uma faca de dois gumes. De um lado o humor pode ter o máximo de eficácia por causa da especificidade das referências. Por outro, quem não conhece a referência fica boiando sem entender patavinas. Logo, não serve para esse público.

Unspeakable Vault (of Doom) é uma dessas tirinhas especializadas em sátira. No caso faz referência ao mundo, por alguns chamados de Mitos de Cthulhu, criado pelo autor norte-americano H. P. Lovecraft. Aproximadamente entre 1920 e 1937 esse autor produziu dezenas de contos que criaram toda uma mitologia de raças alienígenas, planetas e deuses desconhecidos do homem, que são menos do que formigas no universo, que não pode sequer compreender.

As piadas envolvem tanto o universo ficcional, ou seja, referência a rituais de invocação, deuses sádicos e investigadores, quanto o público consumidor do material de Lovecraft. Rpgistas, ouvintes e músicos de metal, e nerds em geral também aparecem eventualmente. Também vale a pena conferir as brincadeiras com outras obras famosas, como Piratas do Caribe, Senhor dos Anéis, Matrix, Arquivo X, Moby Dick, Godzilla etc.

Algumas dos primeiros posts são fichas dos personagens, para ajudar os incautos. O desenho tem algumas peculiaridades interessantes. Uma delas é o fato de que os seres humanos são todos representados sem rosto. Fácil entender, uma vez que não são protagonistas e sim, geralmente, comida dos Old Ones.

2 comentários sobre “Unspeakable Vault (of Doom)

  1. Muito interessante seu post. Ebora eu não conheça esta tira, Unspeakable Vault (of Doom), eu também acho que os quadrinhos podem se identificar com cada tipo de leitor de forma formar verdadeiras tribos, dado a interação entre estas pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *