Parq

Seu primeiro número é de fevereiro deste ano. Mensal, a revista portuguesa Parq publica 20.000 exemplares e também é distribuída gratuitamente em pdf em um site bem criativo. Em alguns títulos de seções, o clichê de termos em inglês. “Really People” são pequenas entrevistas – um ou duas páginas -, com músicos, artistas plásticos, produtores. “You Must – Trends” é só a apresentação visual de produtos. Mas é bem criativa: as peças estão como que suspensas no ar, e a revista segue essa disposição em todos os números. “You Must – News” traz as imagens dos produtos acompanhados de pequenas críticas, assinadas divertidas. “View Point” são ensaios fotográficos ou cobertura de exposições, acompanhadas de resenha ou entrevista com o artista. “Soundstation” traz novidades da música, de dj’s semi-desconhecidos ao novo álbum de R.E.M. “Grande Entrevista” é auto-explicativo. A seção “Moda” traz ensaio fotográfico de moda, em torno de um ‘conceito’ por edição. Em “Central Parq”, por fim, reportagens e ensaios.

O design da Parq é bem pop. Abusa das cores saturadas e gradientes, mas de forma elegante. Essa elegância também pode ser encontrada no uso dos fios tipográficos. O conteúdo da revista, sejam imagens, sejam colunas textuais, é organizado entre fios lineares ou ornamentais. Justamente na resenha a “Letras Brancas”, de Stephanie Dermond, temos texto rosa em fundo branco. Cria um contraste cromático e textual com o título e as imagens e enfatiza a intencionalidade na escolha das cores, seja da revista, seja das peças em cerâmica. No segundo número, surpresa rara: crítica de revista, da Avant Garde. No quinto número, Pedro Marques é novamente convidado para falar de outra revista, a Interview.

Late Chocolate: design, vibradores, tipografia e petite mort

Gonzálo García e Eva Mazana se conheceram cursando Design Industrial na Elisava de Barcelona, universidade de design. Juntos se perguntaram: como seria o vibrador perfeito? Em matéria no El País, Gonzalo explica: “Através de um estudo de mercado e muitas perguntas, resolvemos que deveria ser um objeto escultórico, sutil, com referências a bombom, a chocolate quente… Foi criado para ser exposto, para mulheres sem preconceitos.”

Assim surgiu a Late Chocolate, empresa dedicada ao projeto de vibradores artísticos, dignos de exposição de arte, lingerie, perfumes, brinquedos e aparatos sexuais de todo o tipo. Estabelecida em Madrid, fica a dica para quem passar lá pelas bandas da Espanha. Ao lado imagem de Garcia, Manzana e Alicia Zurita, junto a sua obra-prima.

O que me apresentou a Late Chocolate foi, na verdade, um vídeo. Um exemplar dos chamados “vídeos tipográficos”, aqueles – geralmente em flash – que têm as letras e palavras como protagonistas. Apesar da narração não ser das melhores, o jogo com as palavras, fios tipográficos e vinhetas é espetacular. De um lado representam objetos (como partes do corpo) mais iconicamente, de outro introduz interferências nos elementos tipográficos para conotar as sensações expressadas na narração.

letrag

O site letrag é uma iniciativa bilíngue de Oscar Otero. Em espanhol e galeguo, a página traz uma montanha de informação sobre tipografia. Para os novatos, uma seção sobre Classificação, Glossário, lista dos tipos mais comuns (com ficha técnica, história e exemplos de todas), notícias sobre tipografia e uma lista imensa de links, tanto de instituições e empresas quanto de blogs, na seção Blogosfera. Na seção de artigos, alguns achados como texto de Ron Reason sobre tipografia para periódicos, e de Ellen Lupton, sobre a ciência da tipografia. Também está disponível um visualizador de fontes que dá várias opções de manipulação. Tudo isso numa página bonita e funcional em preto-e-branco. Por fim, o plus: a resposta do mantenedor é realmente rápida. Na seção de Contato pode enviar mensagem. Respondeu-me em quinze minutos.