Aplicativos Sociais e uso dos dados de perfis conectados

Entre os muitos mecanismos persuasivos empregados por aplicativos sociais, está a utilização de elementos dos perfis conectados ao usuário do aplicativo. Por exemplo, no “Golmemorador”, aplicativo patrocinado pela Coca-Cola, o usuário pode bater penaltis e comemorar o gol, estratégia vinculada à campanha “Comemore do seu jeito!”.

golmemorador

Uma particularidade do jogo é o posicionamento das fotos de avatar dos amigos do jogador no rosto do “goleiro”. Quem joga o Golmemorador pode “fazer gols em seus amigos”. O aplicativo coleta os dados dos amigos do jogador, mesmo que estes não utilizem o aplicativo e, muitas vezes, sequer saibam. É um jogo individual a princípio mas que, depois da partida, interpela o jogador a publicar nas atualizações “Fulano fez gol em sicrano”. Assim, o sicrano e os amigos de fulano e sicrano podem ver a atualização, ficar curiosos e também utilizar o aplicativo.

O mesmo acontece em diversos outros aplicativos sociais, especialmente nos jogos: Cafe World é um bom exemplo, no Facebook. Essa experiência é bem característica dos aplicativos sociais, sistemas que utilizam as redes de conexões e bases de dados dos usuários dos sites de redes sociais para fornecer diferentes tipos de interação e expressão. A depender do modelo de negócio (no caso, aplicativo dedicada à marca), a estratégia é envolver inicialmente um usuário para que sua experiência resulte em disseminação do aplicativo, através da própria visibilidade (ao postar nas atualizações) e de dinâmicas sociais resultantes, como competição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *